Fatores de ranqueamento indispensáveis para 2018

Fatores de ranqueamento 2018

Os especialistas em Marketing Digital estão conferindo com frequência as melhores técnicas para que um site tenha visibilidade. Por isso, saber quais são os fatores de ranqueamento indispensáveis para 2018 é parte desse trabalho.

Um bom conteúdo apenas é classificado dessa forma se ele puder chegar a mais pessoas. Ao ser distribuído, apoiado e receber retorno ele cumpriu seu papel de engajar pessoas e atrair o público.

Uma estratégia de Inbound Marketing busca trazer visitantes para um site com o tráfego orgânico. Ou seja, os links vindos dos mecanismos de pesquisa como Google, Yahoo! e Bing. Os sites que estão na primeira página são os mais visitados pelos usuários.

Dessa forma, é essencial saber quais fatores são responsáveis para que um website possa ter um ótimo ranqueamento nesses motores de busca. Descubra quais são as melhores práticas e quais você deve evitar para ter um bom posicionamento no Google.

Quais são os fatores de ranqueamento indispensáveis para 2018?

Veja quais são as melhores formas para estar entre os primeiros resultados dos mecanismos de busca. Entenda também o que é avaliado em seu site. Esses fatores são utilizados para decidir quais páginas respondem melhor à dúvida do usuário ao fazer uma pesquisa.

1- Conteúdo relevante

O Google e outros motores de busca são criados com a finalidade de oferecer a melhor resposta ao usuário e em menor tempo. Por isso, um dos fatores de ranqueamento mais importantes é a qualidade do conteúdo.

Artigos que sejam atualizados, práticos e realmente úteis para o visitante recebem mais destaque. Afinal, para que as ferramentas de pesquisa continuem sendo utilizadas, elas devem fazer a sua tarefa e oferecer o melhor resultado.

Por isso, ao criar um conteúdo, busque que ele seja completo e fácil para entender. Porém, isso não está relacionado ao tamanho do artigo, o que inclusive é um dos grandes mitos do SEO. O mais importante é que seu conteúdo responda exatamente a dúvida do usuário com o número de palavras necessário para isso.

2- Processos de SEO

Os processos de SEO são técnicas aplicadas a um site para que ele possa ser encontrado com mais facilidade pelos motores de busca. Ou seja, o SEO trabalha em suas páginas para que eles possam ter um bom ranqueamento.

Alguns exemplos são: manter uma URL amigável, ter a palavra-chave no título, distribuir o termo-chave e seus sinônimos de forma equilibrada pela página, colocar o atributo alt em suas imagens etc.

São muitos processos que podem ajudar para que seu site chegue ao topo do Google. Por isso, estude SEO na prática e aprenda como pode aplicar esse procedimento em seu site e fazer com que ele tenha uma ótima classificação nas pesquisas.

3- Backlinks qualificados

Um backlink é recebido quando um site externo faz menção ao seu site ou a um dos seus conteúdos. Para isso, website aliado insere um hiperlink em um dos artigos para que seus próprios visitantes possam chegar à página que tem parceria.

Ou seja, isso é uma técnica de link building, ou construção de links qualificados que guiem para o seu website. Porém, a palavra mais importante dessa definição é “qualificados”. É fundamental que o site que fez referência ao seu conteúdo também tenha uma boa classificação nos motores de busca.

Dessa forma, é possível identificar o nível de popularidade do seu conteúdo. O ideal é que sua matéria seja compartilhada nas redes sociais e citada em sites de confiança. Assim, os mecanismos de busca terão mais indicativos para avaliar se o seu conteúdo responde bem às dúvidas dos visitantes.

4- Compatibilidade com dispositivos móveis

O número de buscas feitas pelos dispositivos móveis, como celulares, supera a quantidade feita em computadores. Logo, é essencial adaptar suas páginas para acompanhar essa tendência.

Além disso, o smartphone é principal aparelho utilizado para acessar a internet no Brasil. Com isso, um site que não for otimizado para pequenos dispositivos pode perder visitas. Logo, esses são dados que precisam ser considerados.

Ao notar essa inclinação, o Google ajustou seu algoritmo para melhorar a qualificação dos websites que sejam mobile-friendly. Isso quer dizer que eles apresentam uma navegação intuitiva em dispositivos móveis.

Por isso, é primordial ter um site compatível com pequenas telas. Dessa forma, seu conteúdo aumentará as chances de ser consumido e ter um bom ranqueamento em 2018.

5- Autoridade de domínio

Um dos fatores de ranqueamento que são indispensáveis é a autoridade de domínio do seu site.  Esse fator é algo que precisa ser construído e é reflexo da qualidade de todos os seus conteúdos.

Dessa forma, alguns tópicos levados em conta são: links de qualidade apontando para o seu site, quantidade de visitantes recebidos e há quanto tempo seu domínio está no ar. Esses fatores passam credibilidade sobre a sua página online.

Busque aplicar todas as técnicas para ter um bom ranqueamento e mantenha a frequência de produção dos seus conteúdos. O Inbound Marketing é uma estratégia que funciona em médio prazo, mas também traz resultados duradouros.

Quais fatores são prejudiciais para o ranqueamento?

Além de saber os fatores de ranqueamento indispensáveis para 2018, também é importante entender o que pode impedir que seu site esteja nas primeiras páginas do Google. Veja as práticas nocivas para a criação de conteúdo e evite que isso aconteça com você.

1- Site com baixa velocidade no carregamento

A nova geração que já cresceu sendo nativa digital busca seus resultados de forma imediata. Por isso, poucas pessoas têm paciência para esperar o carregamento de uma página lenta. Logo, os mecanismos de busca, como o Google, levam isso em consideração ao ranquear o seu site.

Dessa forma, é fundamental que o seu website tenha um carregamento rápido. Isso vale tanto para as imagens quanto para o template geral. Além disso, ele deve ser leve também para smartphones e tablets.

Caso isso não seja levado em conta, você corre um sério risco do seu visitante sair da sua página antes mesmo de acessar o conteúdo. Por isso, busque usar imagens nítidas, mas que não sejam pesadas e opte por um tema que será mais rápido ao carregar.

2- Sobrecarregar o conteúdo com uma palavra-chave

Uma técnica muito difundida há alguns anos atrás era repetir ao máximo a palavra-chave no decorrer do artigo ou página. Com isso, a intenção era enganar o algoritmo do Google para que esse link aparecesse com destaque durante uma pesquisa por aquele tema.

Porém, atualmente, os mecanismos de pesquisa contam com inteligência artificial. Isso faz com que eles entendam os significados dos termos semelhantes. Por isso, a repetição exagerada de uma palavra-chave pode até mesmo ser motivo de penalidade para o Google.

Além de correr o risco de ser penalizado, o conteúdo também soará fraco e mecânico para os leitores. Ou seja, prejudicará a experiência de usuário, fazendo com que aquele visitante não continue em seu site.

3- Backlinks com qualidade baixa

O backlink pode ser feito em vários conteúdos e em sites distintos. Por isso, é muito comum buscar parceiros para que eles possam indicar o seu endereço na web. Em tese, quanto mais seu site for citado, maior será a relevância que ele tem.

Porém, a quantidade de backlinks já foi algo significativo para os motores de busca. Já agora isso já não apresenta tanta importância. O Google, Yahoo! e Bing querem saber se os links recebidos são de fontes confiáveis.

Por isso, receber várias linkagens de sites que tem poucas visitas ou com conteúdo pobre pode ser prejudicial. A técnica de backlinks ainda é muito utilizada, mas os links devem ser recebidos de sites com um bom conteúdo e que engaje os visitantes.

4- Texto âncora sem conteúdo

Além dos links externos, também é essencial prestar atenção à linkagem interna feita em seu site. Ou seja, os links em seus artigos que guiam para outra página em seu próprio website.

Os links internos são fatores de ranqueamento importantes para o seu conteúdo. Eles permitem maior visibilidade, indexação nos motores de busca e fazem com que o usuário navegue por mais tempo em seu site.

Por isso, se você incluir links para um texto âncora fraco, isso pode afetar o seu posicionamento no Google. Dessa forma, busque usar links ricos e que guiem para páginas relevantes. Ao direcionar para uma landing page de vendas, cuide para que ela seja explicativa e tenha mais do que um simples botão de “clique aqui” ou “compre já”.

5- Não conter links internos

Da mesma forma que links internos de baixa qualidade podem prejudicar o seu ranqueamento, não conter nenhum link também é algo que prejudicará o seu conteúdo. Além disso, a falta de links fará com que o visitante passe menos tempo em seu site.

Os links internos são pistas para os motores de busca. Com eles é fácil para o Google, Yahoo! e Bing entenderem qual é a sua página com alta qualidade. Busque fazer linkagens para o seu melhor conteúdo no decorrer dos seus artigos.

Além disso, distribua uma linkagem interna inteligente, com artigos e páginas que realmente sejam complementares ao assunto e façam sentido no contexto. A quantidade mínima indicada é de 3 links internos a cada 500 palavras.  

Qual a importância dos fatores de ranqueamento ao criar um conteúdo?

Os fatores de ranqueamento são importantes para que o seu conteúdo possa ser encontrado com mais facilidade pelos mecanismos de busca. Assim, será fácil ter mais otimização de conversão, tornando visitantes em leads ou seguidores fiéis com mais rapidez.

Ao otimizar o seu site com os fatores de ranqueamento, você estará fazendo o máximo para que a sua página consiga uma boa classificação para o Google e outros motores de busca.

Afinal, a intenção de criar uma página ou um artigo é fazer com que ele seja visto pelo maior número de pessoas. Então, sempre se lembre de ter um conteúdo relevante, usar técnicas de SEO, optar por backlinks de qualidade, ter uma versão para dispositivos móveis e manter a autoridade do seu domínio.

Seguindo os fatores de ranqueamento indispensáveis para 2018, com certeza seu site conseguirá uma classificação muito melhor para os motores de busca.

Quer aprender tudo sobre Marketing Digital? Então, vem para o nosso curso Start Marketing Digital e aprenda a otimizar o seu conteúdo ao máximo para ele ser encontrado com muito mais facilidade.